sábado, 13 de setembro de 2008

Legionário

Fecho os olhos depois de um dia sem fim e penso como seria o cheiro da pele dela naquele instante. Penso em cada pinta, cada poro, cada recôndito do corpo dela, fervendo de calor por conta das noites frias, ou mesmo as de calor na Cidade Sem Limites. Imagino mesmo os suspiros dela no meio da madrugada, pedindo mais espaço na cama, uma vez que nós dois nos acostumamos ao estilo da cama de solteiro.

Manhãs ainda passam se arrastando. O Diabo espreita em cada esquina, em cada proposta. Eu ainda acredito no Diabo, mesmo que Deus seja um delírio como nas palavras daquele cientista amado pela Editora Abril. Tendinite, artrite, rinite. Minha vida ganhou um sotaque sérvio sem que eu pudesse imaginar.

Balcãs, Palestina, Iraque. Joe Sacco parece estar há milhas e milhas do mundo que hoje eu freqüento, e mesmo que me cobrem o blues no meu endereço de e-mail, temo em ceder à falsa felicidade financeira e capitalista que vivo, e começar ao velho Leadbelly, com sua eterna pergunta, revivida por Cobain em seu último suspiro. Minha vida profissional e minha vida pessoal viraram uma guerrilha na selva.

Sirvo nesse posto avançado, nessa guerra que eu espero que um dia faça sentido, voluntariamente caçando pessoas que eu conheci do outro lado do campo de batalha e que eu sei que sangram, que choram, que querem voltar pra casa do mesmo jeito que eu quero. Talvez o único fio de sanidade que me resta no meio dessa coisa toda é a esperança de que eu seja promovido.

Porque, por mais que pareça que não, eu quero ser um general um dia. Terminar meus dias com divisas, com respeito. Respeito que não ganho apenas para mim, mas para alguém mais que possa se importar com este pobre tolo cansado. Mais irônico de tudo isso é que eu estou unicamente prosperando porque, em algum momento do meu passado, eu resolvi pensar apenas em mim.

E as ironias continuam. E os sarcasmos da vida. E as noites maldormidas, embaladas por álcool. E a saudade de um porto-seguro. E os atalhos que me seduzem.

Isso é o que eles chamam de vida adulta? Que coisa.

2 comentários:

Deco Ica disse...

Acho que a guerra logo será mais branda pra você. Não digo que terminará, porque nunca termina. Mas você merece ser mandado para um posto melhor.

Xyka disse...

é, eu peço espaço na cama mesmo :)

Te amo.