quarta-feira, 27 de agosto de 2008

E vamos ao nosso Recapitula...

De lá pra cá.

Desapaixonei. Apaixonei. Descobri a América. Descobri o verdadeiro jornalismo. Para o bem e para o mal. Virei comunista de orkut. Quase mudei minha vida inteira. Achei a verdade. Reapaixonei. Descobri que havia outro mundo além do mundo em que vivia. Conheci gente. Gente demais. Pessoas que eu hoje só vejo pela tela no horário político. E o que eu vi não era uma coisa demais.

Pensei em ganhar o mundo, percorrer caminhos. E eu sei que já usei essa expressão daquela música do Caetano com o Chico Buarque. Mas foi assim que aconteceu. No fim das contas, eu soube que era cedo demais. Eu tinha meus dez minutos do primeiro tempo ainda. O jogo é difícil, mas vamos em frente.

Há um ano eu estava literalmente esperando o meu presente vindo de minhas próprias paranóias. Coisa que acontecia sempre que eu andava fora da linha. E naqueles dias eu tinha motivos - todo mundo sabe disso, fiz questão de contar aqui mesmo. De lá pra cá a coisa foi tomando um outro nível. Larguei umas coisas, adquiri outras, umas terceiras ainda me enchem o saco de vez em quando.

Fiz bons amigos, alguns com quem eu pude confiar muitas coisas. Inclusive minha sanidade. Pessoas que acreditaram em mim, e que dividiram cervejas. E pessoas que foram decepções ao longo do caminho, como sempre acontecem.

E a banda continua tocando. Esperando dias melhores. Sobrevivendo aos dias ruins, e às noites mal-dormidas. Pensando nos minutos que demoram para chegar o fim de semana. Contando os centavos para a praça do pedágio. Vendo o sol cair atrás da Serra da Mantiqueira. Vendo meus sobrinhos crescerem. Meus primos se endireitarem. Meus pais relaxarem depois de muito tempo. Meu futuro se abrindo com estradas pavimentadas com CBUQ e possibilidades.

E vamos em frente.

***

De todas as cenas, de todos os filmes da nova geração de diretores (seguindo o padrão do curta com o Selton e o Seu Jorge Sagatiba), eu acredito que essa pequena parte musical do filme "O Balconista 2" é uma das melhores da filmografia do Kevin Smith.

Afinal de contas, ele é um cara legal.




A expressão do rosto de Dante (Brian O'Halloran) resume muitos momentos que tive durante esses últimos 12 meses. Não poderia ser diferente. Meu presente para você.

2 comentários:

Kathy disse...

E no fim esses são sempre os textos que eu mais gosto...
:o))))))

Proposta indecente: Bora jogar com a gente no Camarilla????
Bora, bora bora... Deixe de frescuras... Uma pessoa q escreve desse jeito só pode dar um puta player... E aí? Vc só precisa de um e-mail, e eu sei q vc tem um... rs
Precisa aparecer de vez em quando também, mas isso vc também já faz... E então? E então?
Se arrastara Xykota junto leva mais 20 contos, rs (é impossível, eu sei, hahahahaha)
beijocas

W. Fernandes disse...

E ae Sr. Diniz!
Bom, elogiar seu estilo é chover nommolhado, correto?
tenho comigo que a renda não tras felicidade, mas deixa o caminho livre para ela. E logo essa estrada se abrirá mais!
Abraço!