domingo, 29 de junho de 2008

Da série "Isso Merece um Post!"

Esses dias Paulinho Maluf, aquele mesmo que todos aprendemos a amar e tolerar (e ex-padrinho político do primeiro vereador caçapavense a voltar de uma cassação), lançou seu livro esses dias: "ELE - Maluf, trajetória da Audácia".

Bom, como o humor de MSN é uma coisa que está se tornando cada vez mais produtiva, a parceria com o Deco do "Sonhos e Clichês" (vide links, não quero mexer com HTML agora) rendeu algumas das "memórias superfaturadas" que Paulo Maluf pensou em colocar no seu livro.

  • Em 1968, eu comi no mesmo ano a Sophia Loren e a Brigitte Bardot, quase as duas ao mesmo tempo. Primeiramente, eu a levei num motel muito simpático à beira do córrego da Água Espraiada, mas choveu e ficamos ilhados. Depois disso, tive uma idéia genial, que cumpri muitos anos depois.
  • Já a Brigitte Bardot, eu a levei no hotel perto da cabeceira do Aeroporto de Guarulhos, que eu ajudei a construir.
  • Em 1971, eu venci o Gilles Villeneuve num racha que fizemos à noite na Trabalhadores, que eu consegui articular para o Estado de São Paulo.
  • No Cemitério de Perus, eu consegui trazer grandes celebridades, como o filho da Zuzu Angel e as verdadeiras sobras do Che Guevara, que teria sido um menino mais feliz se na Argentina houvesse o Leve Leite.
  • Quando eu fui governador, eu disse para a torcida do Corinthians: "Se o Basílio não salvar o time de vocês, nunca mais votem em mim". Depois disso, eu chamei o Sócrates para colocar a pedra fundamental do novo estádio da Fiel.

Bom, foi só isso.
Boa noite.

1 comentário:

Deco Ica disse...

Pô, mas o Basílio salvou o Corinthians! Ele fez o gol do título de 77!

Mas enfim, nossa parceria é o que há!