segunda-feira, 10 de março de 2008

"Jesus me Chama", um conto inspirado em Kurt Vonnegut.

.... Ouçam: André Diniz tentou se soltar do Jornalismo Canalha.


***
Ele seguia andando pela estação Sé do Metrô. Ele pensava nas vezes em que queria entrar nos vagões com uma maleta com explosivos C4. Ele não queria apenas dinheiro, possessões extra-terrenas, ou mesmo pedir socorro. O sonho dele era ser o ataque cardíaco no sistema de transporte público de São Paulo.
***
C4 é um tipo de massinha de modelar que faz bum. Ela é fabricada por países ricos, e esses países ricos dão essa massinha de modelar para países pobres fazerem bum neles mesmos. É um jeito de todo mundo ficar feliz com massinha de modelar. O problema é quando países pobres usam a massinha de modelar pra fazer bum nos países ricos, principalmente nos trens e metrôs.
***
O ataque cardíaco é uma coisa que acontece com os seres humanos, quando eles comem demais e se mexem de menos. A energia que eles deveriam gastar vira gordura, e fica andando por dentro da fiação dos humanos, até que começa a se juntar num lugar. Aí forma uma rolha, o que acaba fazendo o sangue não chegar em locais importantes do corpo, fazendo com o que o ser humano pife. E a razão do ataque cardíaco acontecer é porque as pessoas não andam mais, porque pegam o metrô, e vivem em função do transporte público. Muitas pessoas dizem que as cidades se tornaram organismos vivos, e que em suas veias correm carros, motos, pessoas, trens e metrôs. Uma blasfêmia, segundo a Igreja.
***
A Igreja é um grupo de pessoas que dizem que são amigos VIP do Criador do Universo. E como amigos VIP, eles podem ter coisas, dinheiro, influência e opiniões que podem ser mais importantes que as opiniões dos outros seres humanos do planeta Terra. E para esses amigos VIP do Criador do Universo, só o Criador do Universo poderia criar coisas vivas e pensantes. Dizer que uma cidade é um organismo, pelo menos vivo, seria a mesma coisa que dizer que os outros seres humanos possuem a capacidade de criar como o Criador do Universo. Logo, a Igreja seria tão inútil quanto um trem que acabou de ser explodido.
***
Mas voltemos aos fatos. Ele começou a ter químicas ruins dentro de sua cabeça, também. Era uma coisa normal naqueles dias. O Sol estava esquentando demais, muita fumaça, muitas comidas que tinham, além da gordura extra que causa ataques cardíacos, corantes artificiais, glutamatos, sais, metais pesados, celulose, e minhocas. E todas essas coisas estavam fazendo com que Ele, além de ter químicas ruins dentro da cabeça, ficasse parecendo com uma coxinha de padaria.
***
A Celulose é uma coisa que se extrai das árvores para fazer papel. O papel é usado para muitas coisas, inclusive para embrulhar coxinhas. Mas essas árvores é que poderiam fazer com que o planeta Terra não ficasse tão quente, e não bagunçasse com a química dentro das cabeças de muita gente. Uma coxinha é um alimento batizado como "Salgadinho" pelos humanos, porque eles queriam algo que alimentasse rapidamente, no caminho entre suas casas e o ponto do transporte público, mas esses alimentos "salgadinhos" traziam além de sal muitas gorduras, glutamatos e metais pesados. Muita gente chama esses salgadinhos de "Coxinhas 'Jesus me Chama'".
***
Ele, enquanto andava pelo metrô, teve uma idéia. Resolveu assumir seu lugar no universo. Decidiu que seria o maior maníaco psicótico que a humanidade jamais viu. Faria o terror chegar ao coração dos outros, mas seria silencioso como um ataque cardíaco.
Tomou uma decisão: foi até um amigo que fazia camisetas personalizadas, e encomendou uma camiseta.
E sempre que ia para a cidade, entrava no transporte público, na fila do metrô, Ele ostentava a camisa preta com letras brancas sobre o corpo redondo como uma coxinha:
"JESUS ME CHAMA".

Com isso, todos achavam que Ele era apenas mais uma testemunha do Amor em Cristo.
***

Algum cara, muito esperto, criou um lugar num mundo alternativo que os humanos chamam de "internet" chamado "Amor em Cristo". Lá, ele reuniu um monte de menininhas adolescentes que procuravam um namorado. Mas tudo o que elas conseguiam eram homens de meia-idade, loucos para conseguir sexo com adolescentes.

Não que muitas delas quisessem justamente sexo com um homem de meia-idade.

Mas todo mundo vivia de aparências.

*****

Ok, mudando de assunto.

Dois anos. Isso iria acontecer - mais hora, menos hora. A felicidade e o compromisso. Os fins de semana a dois, os filmes, os porres, os esporros. Mas é isso que no fim das contas me faz feliz. Reparar que o perrengue, a dificuldade, a luta que é toda vez que estou junto dela, me faz feliz, me faz valorizar cada pequeno momento que estou do lado dela.
Talvez eu esteja com químicas ruins dentro da minha cabeça, ou seja apenas o peso do cabelo e as tentativas de um novo corte de barba, mas toda vez que estou do lado dela, eu me sinto bem, mesmo apanhando, torturado, esculachado, escoriado e demais insalubridades. Insalubridades que, no fim das contas, não são malignas.
Mas, como eu sou um jornalista canalha, eu acabo apelando e chamo (com voz de Roberto Carlos) O meu amigo.... Shane McGowan!

I just want to see you (Eu só quero te ver)
When youre all alone (Quando estiver só)
I just want to catch you if I can (Eu só quero te apanhar, se pudesse)
I just want to be there (Eu só queria estar lá)
When the morning light explodes (Quando a luz da manhã)
On your face it radiates (Na sua face irradiar)
I cant escape (Eu não consigo escapar)
I love you till the end (Eu te amarei até o fim)


... porque é sempre interessante deixar um recado no fim de uma mensagem.
Pretinha... Te amo.

1 comentário:

Deco Ica disse...

Esse teu texto me lembrou a linguagem de "Ilha das Flores", curta que revelou o Jorge Furtado para o mundo. Interessante, gostei.

E bom, se eu bem entendi o texto final, você e sua digníssima conjuge completaram 2 anos de relacionamento, correto? Se for assim, desejo felicidades aos dois a parabenizo-os pelo caminho já percorrido.