terça-feira, 4 de dezembro de 2007

TOP 5 Comerciais Que Humilham os Atores + Bonus Track!

Pensava eu que participar de um comercial era o primeiro passo para o estrelato, fama, dinheiro, e a possibilidade de cheirar cocaína na bunda de uma garota de capa da Playboy mum iate estacionado em Búzios. Afinal, muita gente começou assim (com os comerciais, claro).

Mas pensando bem, a realidade é bem mais triste. TOP 5 COMERCIAIS QUE HUMILHAM OS ATORES.

5) Respire Melhor

Ah, o amor. Ela não aguenta mais o ronco de privada desarranjada do marido e pede com todo o carinho do mundo para que ele use as tirinhas que expandem o nariz e não fazem que você pareça um porco toda noite no cangote dela. E ela pede com todo o carinho do mundo: "Vai amor... por mim." Rapaiz, quando estava casado, na segunda semana eu já tinha recebido o veredicto: "VOCÊ VAI DORMIR NO CHÃO ENQUANTO CONTINUAR RONCANDO ASSIM!" Nada de pastilhas, tiras ou compreensão, apenas a dura realidade dos fatos.



4) Vodol

Micose é um negócio ao mesmo tempo nojento pra diabo e natural. Afinal de contas, passamos quase 4/5 de nosso tempo com sapatos e meias, devido às convenções sociais. E nem sempre podemos tirar os sapatos e dar aos nossos pés o descanso merecido. Nisso, somando-se um 752 da Vulcabrás com meias de algodão, é bem possível que tu contraias uma micose ou, na melhor das hipóteses, um pé-de-atleta.
O problema é quando aparece uma deliciosa ninfetinha cheia de pintas brancas nos ombros, por causa da micose. Nessa hora você pensa duas coisas:

a) Será ela tão hippie que, em vez de ir num lugar esterelizado, acabou indo à uma praia interditada pela Cetesb (o que demonstra que ela é uma porca)?

b) Tu darias no couro, na famosa 'posição do cachorrinho' em uma guria que parece um dálmata ao contrário por causa das micoses? Eu particularmente teria a sensação de que os cabelos dela sairiam na minha mão durante um puxão mais empolgado, um acontecimento estilo Grindhouse.

3) Gleid, ou "Cocô na Casa do Pedrinho"

A despeito do impacto que este comercial causa na dieta alimentar de Fábio Yabu (que lamenta toda vez que esta peça passa nos intervalos das séries na TV paga), o garoto PRECISA estudar num colégio particular. Com turmas de cinco alunos. De preferência, Quakers que não possuem televisão. Porque se alguém fizesse isso e vivesse no mundo real, daqui a 15 anos teria duas alternativas: viraria uma "paulicéia desvairada", ou se enforcaria no playground, o que atrapalharia boa parte do dia dos condôminos. Disgusting.



2) Produtos para o Hálito

Essa é curta - um amigo de Veranie Bottosso é desses caras que por um momento quis ser - vivem em balada, sarados, de boa família e que precisam de uma grana extra pra pagar o prêmio do seguro do Golf GTI. Então, ele se meteu num desses comerciais. Acho que você já deve ter visto, e infelizmente não tem no youtube, aquele comercial que fala meio acabrunhado "Eu sempre tive vergonha, mas eu sofro de Mau-hálito...". Ela conta que desde então, não perde a oportunidade de chamá-lo singelamente de "bafo-de-onça". E pelo que ela conta, não é a única.
Dez mil reais para nunca mais conseguir beijar uma menina na balada por anos a fio até que esqueçam o comercial?

1) Hemovirtus

O mais-mais da pagação de mico. Os comerciais mostravam várias pessoas, de várias carreiras, sofrendo com a "alergia do cu". Médicos, advogados, empresárias, e um pião de rodeio. O pião de rodeio eu acredito que foi uma sacada genial de alguém que viveu os tempos do primeiro "Forte Apache" da Gulliver (onde você ainda podia descolar o cavaleiro do cavalo, o que lhe rendia o apelido de 'hemorroidado'). Todos eles com aquela almofada em forma de donut, porque lhes doía o cu amargamente. E com o Hemovirtus, as varizes retais se abrandavam, até desaparecer por completo.
Entre as personagens, tinha aquela secretária. Jesus F. Cristo, como ela era bonita. Morena, cabelos lisos, óculos de professora caindo sobre o nariz. Talvez ela tenha participado de alguma novela na Band, ou mesmo na Record depois disso. No máximo, uma ponta como extra na novela das sete. Mas ainda sim... Eu ia em qualquer dia da semana. Mas eu ia até o momento em que ela se levanta e tira aquela almofada donut. A idéia de sexo anal com alguém que parece que tem um pêssego despedaçado por um tiro de espingarda no lugar do toba é completamente limada do imaginário...
Comerciais de hemorróidas deveriam ser regulamentados pelo Governo Federal. "Jovem, se você completou 18 anos e tem hemorróidas, use Hemovirtus e se aliste no Exército". Seria bem mais digno com os atores que tentam ganhar seu pão e vinho.

***

Bo-Bo-Bo-Bonus Track REMIX! ou "Porque não é pecado kibar o Kibe"


Chimpanzés superam universitários em teste de memória

da BBC Brasil (04-12-2007)


Uma nova pesquisa da Universidade de Kyoto, no Japão, demonstrou que chimpanzés têm uma memória fotográfica superior à dos humanos. Chimpanzés mais jovens foram melhores em testes de memória do que estudantes universitários, segundo o estudo publicado na revista "Current Biology".

Até o momento, pensava-se que chimpanzés não conseguiriam ter o mesmo desempenho dos humanos no setor de memória e outras habilidades mentais. "Existem muitas pessoas, incluindo biólogos, que acreditam que os humanos são superiores aos chimpanzés em todas as funções cognitivas", disse o chefe da pesquisa Tetsuro Matsuzawa.

"Ninguém poderia imaginar que jovens chimpanzés, com cinco anos de idade, tivessem um desempenho melhor do que o de humanos em uma tarefa que envolve memória", disse. "Aqui nós mostramos pela primeira vez que jovens chimpanzés têm uma capacidade de memória extraordinária para lembrar números, melhor do que de humanos adultos testados no mesmo aparelho, seguindo o mesmo procedimento."

NÚMEROS - Matsuzawa e sua equipe testaram três pares de chimpanzés, cada formado por uma mãe e seu filho, contra estudantes universitários em um teste de memória que envolvia números.

As mães chimpanzés e seus filhos de cinco anos já tinham aprendido como 'contar' de um a nove. Durante a experiência, cada participante viu em um monitor vários números de um a nove.

Os números eram então substituídos por quadrados em branco e o estudante ou o chimpanzé tinham que lembrar qual número apareceu em qual lugar, e então tocar o quadrado certo na tela. Os pesquisadores descobriram que os chimpanzés jovens tinham desempenho melhor do que suas mães e do que humanos adultos.

Os universitários foram os mais lentos do que os três chimpanzés jovens em suas respostas.
Os chimpanzés se saíram melhor do que os universitários em velocidade e precisão quando os números apareciam apenas por um momento.

FOTOGRÁFICA - O espaço de tempo mais curto, de 210 milisegundos, não deu o tempo necessário para que os testados explorassem a tela com movimentos dos olhos, algo que fazemos o tempo todo durante a leitura.

Isto mostra, segundo os pesquisadores, que os chimpanzés mais jovens têm memória fotográfica o que permite que eles memorizem uma cena complexa ou um padrão com apenas um olhar rápido. Em algumas ocasiões esta habilidade está presente em crianças, mas diminui com a idade, afirmam os pesquisadores. "Chimpanzés jovens têm memória melhor do que humanos adultos. Ainda estamos subestimando a capacidade intelectual dos chimpanzés, nossos vizinhos de evolução", disse o professor Matsuzawa à BBC.

Para Lisa Parr, que trabalha com chimpanzés no Centro Yerkes para Primatas na Universidade Emory de Atlanta, Estados Unidos, esta descoberta é "revolucionária" e, pelo fato de os chimpanzés serem nossos "parentes mais próximos", pode ajudar a entender a memória humana.


***

Agora, pesquisadores japoneses pretendem estudar os efeitos da maconha, do engajamento CRUJ, da cerveja Conti e das festas do Interunesp sobre os chimpanzés, para entender o motivo do défcit de memória. Ativistas do PETA (Tratamento Ético para Animais, em inglês) já se manifestaram contra.

1 comentário:

Deco Ica disse...

Deus do céu, como eu odeio aquele moleque que faz tanta questão de cagar na casa do Pedrinho! Tenho vontade de jogar a TV pela janela toda vez que passa esse comercial.

Os outros são realmente humilhantes para os atores. Mas é melhor um cara se submeter à uma humilhação no comercial de mau hálito assumindo seu problema do que aquele comercial imbecil do Listerine, que o cara tenta lavar a boca num chafariz (e depois ainda conseguiram fazer uma versão ainda mais cretina, com o sujeito na máquina de lavar roupa).

Aff.

E pra fechar: Cagar na reunião da reitoria como forma de "protesto" é bem coisa de chimpanzé mesmo.