segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Jaú, oh Jaú....

Meu melhor presente de natal - A sua Edição da Playba com o bônus do ensaio original, com a entrevista com Quentin Tarantino (onde descobri que NÃO SÃO OS DIAMANTES QUE ESTÃO NA MALETA DO MARSELLUS WALLACE).


Numa dessas rotinas pela infame BLOGOSFERA, encontrei um porto de sensatez e sarcasmo na boa e velha internet. E não estamos falando do Cocadaboa, que há muito tempo vive de sua própria fama nos dias passados - mais ou menos como o Jake LaMotta depois de sair dos ringues. (Lembra? Campeão dos Pesos-Médios, foi o Touro Indomável? Droga... Leia AQUI)

JORNALISMO BOÇAL - guardem bem esse endereço. Porque esse cara vai ser o próximo MrManson. Não pelo fato de fazer todo o "jornalismo sério do Brasil" de trouxa, mas pela quantidade de sacadas geniais. O JORNALISMO BOÇAL dele me lembra tudo aquilo que eu queria ter escrito durante meus dias de verve cáustica mas não tinha genialidade ou vocabulário o bastante para fazê-lo.

Mas posso me furtar a dar um sprint. Sobre Luciana Vendramini, e sua divindade. Para ser mais preciso, sobre como seria justo travar uma guerra santa por mulheres REALMENTE GOSTOSAS. Coisas que fariam você ir ao médico reclamando de tendinite sem jamais ter trabalhado num escritório. No tocante à Vendramini:

Acho que foi o Luis Fernando Veríssimo o defensor da teoria que elege Luciana Vendramini como Deus. Deuses são pessoas que a gente não vê, não cheira e nem toca (Playboy não vale, seus perebentos!). Paulo Ricardo já a viu, tocou, cheirou, e beijou. E o pior: também, digamos, a conheceu biblicamente. Ou seja, Deus e diabo rolando na mesma cama. Vejam o dualismo da coisa! Bom, pelos menos o livro santo seria mais divertido: uma versão em capa dura da Playboy lançada na década de 80 com as primeiras fotos da garota. Monges em retiro espiritual iam gastar horrores em Prestobarba para barbear as mãos. Imaginem os vitrais...

Não devemos esquecer de um fato importante: A importância do seu berço. Cidades como Jaú, São Manuel, Botucatu e demais cercanias são responsáveis pelos piores tormentos do sexo masculino: as mulheres (acredite - existe mulher gostosa no Oeste Paulista), a cana (de onde sai a cachaça e o biodiesel) e os sapatos (que fazem as mulheres nos transformarem em mulas durante seus ataques de consumismo nos shopping centers). Jaú deu dor de cabeça e dor nos cornos para dois conhecidos meus - cuja identidade foi vetada - e São Manuel deu outra dor de cabeça também. Tal qual a burra-leiteira, árvore de Fernando de Noronha: uma árvore tão bonita, que produz uma seiva cáustica e venenosa.

Quanto à Walter Carrilho, concordo em 50% na sua afirmação: Luciana Vendramini é gostosa. Muito gostosa. AINDA é. Só que por ela eu não morreria - eu faria o filha da puta do meu lado morrer. E no final colocaria um terno branco e uma camisa azul-calcinha, entortaria o suporte do microfone e diria com a voz mais debochada do mundo "Quando eu estou aqui, eu vivo esse momento lindo...."

***

PS: Sou partidário da opinião de Didi Mocó quando diz que as 3 melhores coisas da vida são "mulher, dinheiro e bicho de pé".

1 comentário:

Deco Ica disse...

Nunca me esquecerei de um fato que marcou minha infância: num episódio do extinto programa global "Você Decide", Luciana Vendramini interpreta uma mulher que seduz um cara. O sujeito perde a cabeça quando, lá pelas tantas, ela mergulha numa piscina. Completamente nua. Algo semelhante à Cláudia Raia naquela novela dos anos 90...

Jaú, Jaú...