terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Chávez, chaves, chave... Todos atentos olhando pra tevê...

- Dá o pé, companheiro loro!

- Aaarh! Eu não sou louro, eu sou verde! Vai ser burro assim no inferno! Aaarh!

(By Bolaños, parafraseado)


Toda vez que abro a Veja, vejo com meus olhos que um dia o oculista há de cobrar uma grana pra ficarem novos que o Hugo Chávez é o novo capeta sul-americano. Que está isolando o seu pequeno feudo venezolano, juntamente com uma patota de "caudilhos populistas" com seus planos de dominação da América do Sul, do Norte e um terceiro continente à escolha de todos. eu saio em defesa de Chávez.

Primeiro que, para comprar briga com os maiores jornais de direita do Brasil e do exterior, a Casa Branca e instalar uma fábrica de rifles AK-47 na América do Sul tem que ter bagos. E bagos bem grandes, na minha humilde opinião. Nós mesmos tentamos isso no passado com a Engesa e tomamos na toba grandão. Deixe ele ser feliz, brincando de Civilization do jeito que lhe dá na telha, apoiado pela grande unanimidade rodrigueana que, com seus mimos petrolíferos, faz a alegria da massa sem ter um Flamengo no bolso como a nossa Petrobrás.

E... Baseado na Declaração Universal dos Direitos do Homem, todo homem tem direito a se foder grandemente. Todo país tem o direito de escolher um doente mental para assumir seu governo. Vejam os exemplos: nós escolhemos o Lula. Os argentinos escolheram um Cavallo para cuidar de suas finanças certa feita. Os americanos escolheram duas gerações de Bush para domar seus destinos. Os russos escolheram Yeltsin, depois o Putin que mais parece um Collor misturado com o personagem de Nicholas Cage em "O Senhor das Armas". Então, que direito tem uma revistinha canhestra e calhorda como a Veja em ficar criticando a administração alheia?

===

Falando em Chávez e sua "guerra de independência em relação ao capital estrangeiro e o imperialismo norte-americano", falo da independência que um molho de chaves pode dar a um ser humano. Ele pode ser fodido, mal pago, esculachado pelo Sistema®, ter que suportar os maiores martírios que um ser humano protegido pela Convenção de Genebra pode suportar, mas ainda sim ele tem a felicidade de ter o molho de chaves de sua própria casa.

Isso dá a qualquer um a independência, o valor, a responsabilidade. Deveriam ensinar as crianças que, antes de mexer com dinheiro (como um amigo costuma dizer, "com o exemplo mesquinho e burguês do cofrinho"), a necessidade de manter sua chave de casa à vista, para que nenhum aventureiro lance mão.

***


Porque, na verdade, eu prefiro "... E o Cálice Sagrado".


A chave do tamanho. As lições que, num momento de iluminação durante a noite passada, pode-se tirar dessa vidinha medíocre.

Cresça e apareça. Tome uma vitamina. Exercite-se. Saia mais. Procure alguém que te entende e vai à luta. Vá procurar uma sarna para se coçar. Bata uma bronha de vez em quando, sempre quando se sentir solitário e nenhum minuto antes. Leia um livro pornográfico pelo menos a cada dois meses. Uma visita à dentista a cada seis meses. Tome um porre em cada feriado santo. Dê uma boa bimbada na sua senhora toda vez que conseguir um aumento - estou falando de coisas que rendem sequências de filme pornô, mas sem nunca perguntar como foi para ela. Essas coisas são intoleráveis. Vá ao cinema, veja filmes bons e filmes ruins, mas nada com o Will Smith ou o Ben Affleck. Escreva um livro, mesmo que ele seja medíocre. Apareça num filme caseiro, desses que vão para o Youtube. Faça um filme pornô em 1932, mas diga que foi em 1930 para não ser encontrado no IMDb.

E, sobretudo, não encha o saco dos outros. Para isso você tem a sua psicanálise.

1 comentário:

Deco Ica disse...

Pô, cadê o coment que eu tinha postado aqui?