quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Thanatos

Gotta Knock a Little Harder.


Thanatos. Do grego: Morte.

Não foi sempre que tive medo de morrer. Sério. Pode parecer poser, mas sempre achei que morreria "no cumprimento do dever", no jogo-limpo, fosse a carreira que eu escolhesse. Principalmente quando encasquetei em ser jornalista - 'mais um jornalista morre na cobertura do conflito' fosse onde fosse.
Mas eu ainda era virgem. Não sabia de metade da missa.
Foi quando comecei a morar só que percebi que o buraco era mais embaixo. Foi quando aprendi que as regras eram mais complicadas e com uma letra mais miúda no contrato que assinei com a Vida 'no dia em que saí de casa'. Não era tudo certinho e explicadinho, nada vinha com um néon piscando sobre a cabeça afirmando qual era o caminho certo a seguir.
O alfabeto, que nos deu poesia, músicas, prosas e fatos, também deu três letras que poriam qualquer um no Medo Vermelho a qualquer momento que fossem pronunciadas. Vocês sabem bem quais são essas letras.
E foram essas letras que piscaram para mim há alguns dias.
Hoje fui fazer A Prova. Aquela mesma. Todos sabem que, quando se vive no princípio do século XXI, precisa-se colocar à prova de vez em quando para saber se tudo vai bem. Na espera da sala de espera, comecei a pensar que não seria o primeiro. Não seria o último, e com certeza, isso já tinha acontecido em algum lugar, em algum tempo. Mas dessa vez não tinha apenas eu no confronto da Sala de Reunião. Alguém mais estava ao meu lado. E é por esse alguém que me perguntei com a cabeça no travesseiro: "sou o próximo?" Essa pergunta passou a ter peso 2 no momento em que passei a ter alguém que realmente era aquilo que precisei todo esse tempo. Se pararmos para pensaro número de doenças, pestes e epidemias que já atingiram nossa civilização, veremos que essa é apenas uma entre muitas.
Na Bíblia já existia a lepra como castigo divino. Na Idade Média, a Peste Negra que quase levou toda a Europa, quiçá o mundo com ela. Na Idade Moderna, era a tuberculose, a Doença dos Pulmões. Há 90 anos foi a Gripe Espanhola, e há 50 anos temia-se o câncer inclemente e o holocausto nuclear. Hoje são muitas letras: SARS, HIV, Ebola. Outros castigos virão. Outras pessoas farão a mesma pergunta que eu: "sou o próximo?". E outros também olharão para trás e verão que nos Tártaros, existem outros vítimas de chagas das mais diversas naturezas.
N.A.: Não, não estou morrendo. Não da maneira que pode parecer esta crônica - afinal, todos nós estamos morrendo dia-a-dia. Apenas fui checar se estou bem ou não - quem ama, cuida. Apenas um pouco de espiritualidade e senso crítico não fazem mal a ninguém.

***

Momento Diarinho - sim, eles voltaram por força da lei!

Hoje fiz 3 coisas que protelava há séculos. A primeira, subentendida no texto acima, foi a doação de sangue juntamente com "o exame". A segunda, foi comprar o livro-chave do meu TCC: "PALESTINA: Na Faixa de Gaza" de autoria de Joe Sacco (Vocês devem estar de 'sacco' cheio de tantoque eu falo nesse ser, n'est pa?) pela Editora Conrad. A terceira, obviamente, foi escrever o meu TCC.
Allea Jacta Est.

Sem comentários: