quarta-feira, 10 de maio de 2006

Post-It

Baby,

Estou aqui matando aula para falar de coisas idiotas, do tempo que vive frio na Cidade Sem Limites e de como sou louco por você.

***

(enquanto o telefone não vier, eu ficarei por aqui.)

***

Não morri. Não fui seqüestrado. Não fui castrado por nenhuma liderança religiosa de Altamira no Pará. Não virei hippie com o símbolo da paz. Não entrei pro PCC. Não estou treinando em um campo militar secreto para combater o Evo Morales. Não fui recrutado para trabalhar no Estadão. Não virei fotógrafo de cadáveres na Polícia Científica. Não fui preso por plantar maconha dentro do meu guarda-roupas. Não peguei o vôo da Ocean Air. Não fui até Paris ver a final da Champion's League para descobrir qual será o próximo adversário do São Paulo na Final do Campeonato de Futebol Interclubes FIFA. E não fui chamado para defender a seleção de futebol da Argentina na posição de 'beque central', por mais ambígua que essa posição pareça ser.

(inspirado num post do Viciado Carioca. Porque a vida é um roubo, já dizia o meu ex-vizinho Edilson Pereira de Carvalho)

***

MOMENTO LESTER BANGS (Assistindo novamente QUASE FAMOSOS, André?)

* Arcade Fire é o Cirque de Soleil da música. Soa grandioso, ou grandiloqüente seria o melhor termo para definir essa esquizofrenia musical folk-rock-pop? Tenta fazer uma mescla do velho e do novo com uma afetação digna de filme do Joel Schumacher e ainda fica se masturbando ao chamar à ribalta o já-manjado David Bowie para cantar as músicas que todos nós conhecemos da época do Ziggy Stardust. Francamente, você ganharia mais comprando os DVDs do Reginaldo Rossi e Magal que ficar se esforçando para parecer "ÃO" quando ouve essa banda.

* Latino é o rei da poesia moderna, deixa para trás Chico Buarque. "Nem blablablá nem chororô. Você deu mole e a bola entrou" é uma pérola digna de ser colocada na Academia Brasileira de Letras. É incrível a capacidade de fazer dinheiro sujo no Brasil sem precisar matar jornalistas ou saquear bancos para que Carlitos Tevez continue no Corinthians.

* Vejo com apreensão a próxima figura do álbum HYPE 2006 prestes a sair do forno no Ídolos. A melhor escusa para fazer música ruim sempre é dar o direito de escolha ao cidadão comum. Claro - você pode simplesmente escolher o seu personagem favorito numa gama de pessoinhas bonitinhas, fofas e bem-nutridas que com méritos conseguiu passar pela 'temida' banca de jurados muito abalisados e criteriosos (se bem que na verdade o Arnaldo é realmente o mais assustador). Queria de coração que o cantor lírico do sul tivesse passado.

* Saudades do tempo que os nossos ídolos se entupiam de pó antes de cantar nos palcos de nosso Brasil Varonil. Agora é uma farofa só.

***

O que eu fiz enquanto o PCC arregaçava o coreto? Me cagava, literalmente. Sabe como é. Quem tem cu tem medo, e quem uma virose gastroentestinal em virtude de um peixe suspeito (melhoras pra ti atrasado, Veranie!) não tem muita escolha.
O pior é que eu acabei perdendo minha primeira aula prática no laboratório de fotografia na segunda-feira por causa da indústria do boato. FILISTEUS!® (by Allan Sieber)

***

Não perca, no próximo episódio de 24 Horas The Coke Inc, a conclusão do conto sobre os violentos jogadores de rugby de uma certa universidade do interior paulista.

Sem comentários: