quarta-feira, 1 de março de 2006

"Scarlett, me beije! (Ganhamos a Guerra!)" - Rhett Butler


Dica de cinema já que estamos na entressafra de bons posts.

Todo mundo aprendeu na aula de história sobre a Guerra de Secessão dos USA e sua importância dentro da formação cultural e ética daquela nação. Coisa que não tivemos. Você sabe muito bem, é aquele entre os bonzinhos industriais e abolicionistas do NORTE e os malvados, racistas, agrários e escravistas do SUL - essa é a idéia que passa pelo cinema em qualquer filme que apareça aquela bandeira cruzada com estrelas do lado que perdeu a guerra (a despeito do que aparece no desenho do Piu-Piu e Frajola num cenário da Guerra onde o Piu-Piu é o pombo Confederado e o Frajola o gato ianque. Sempre achei que a Warner tivesse um pezinho na Ku Klux Klan mesmo tendo o Morgan Freeman na sua folha de pagamento). E todo mundo que vive sob a égide dos Estados Unidos da América sabe que o Norte venceu.

Aí entramos no clássico "E se perdesse"? SE os caras do Sul tivessem vencido a Guerra Civil? SE a escravidão conseguisse se tornar legal graças ao lobby da mais nova potência mundial? SERIA DIFERENTE?

Kevin Willmott, um dos afilhados de ninguém menos que SPIKE LEE, a maior sumidade em "meter o pau naqueles branquelos filhos da puta" (depois de Mano Brown do Racionais MC's) da mídia traz uma espécie de documentário fantasioso sobre uma possível Norte-América Confederada no festival de SUNDANCE de 2004. Uma América do Norte racista, expansionista, arbitrária. Só que em vez de pagar trocados para que os outros povos façam seu trabalho nas lojas de conveniência e nas construções, ela simplesmente faz o que sabe fazer de melhor - tacar correntes nos pés e mandar pro pelourinho.

(SPOILER: Uma das cenas mais comentadas do filme é a em que o presidente Roosevelt vai a Berlim propor a Hitler que não mate sistematicamente os judeus, mas sim que os use como mão-de-obra escrava. Como comentário pessoal, só faltaria nesse contexto o musical "A Tenda do Rabino Jacob" em alusão à "A Cabana do Pai Tomás".)

E o que tem de caipira do Mississipi querendo a cabeça desse carinha não é mole não. Até em fóruns toscos como o do Internet Movie Database existe uma guerra entre sulistas e nortistas. Tem gente que nunca vai parar.

Só a América do Sul é que se fode oficialmente nesse contexto todo. Eles batem o prego no nosso caixão e estamos falando 'espanglês' desde o fim do século XIX com a Doutrina Jeferson. (opa, outro spoiler. Mal aí.)

Sem comentários: