sexta-feira, 27 de janeiro de 2006

"Põe uma bunda que chama audiência" - André Dahmer (Parafraseado)

Não Consegui Resistir.

Tá certo, mãe. Vamos sair do tema "Revistinhas calhordas de 1,99".

(E isso porquê eu não coloquei as melhores fotos do melhor par de nádegas de todas as Américas pelo menos, quiçá do mundo: a argentina Keyra Agustina, a "Carlota Tevez" das bundas - com a vantagem de ter um rosto bonito também.)



- "Motivos para odiar São Paulo".

Não, não é por ter nordestinos, não é por ter mendigos, não é por causa das massas trôpegas que chegam aos montes e emporcalham a cidade. Eles estão no direito de lutar por algo melhor, eis o princípio da Nova República de 1988. O que eu mais odeio na cidade de São Paulo é a TV Cultura de São Paulo.

Não por ser um canal PPP (Pareceria Público-Privada) vem a ser o motivo de tanta ojeriza - como certos entreguistas que eu conheço, mas sim pela nova abordagem da direção da emissora. O novo projeto é tornar a Cultura num "Canal de TV a Cabo para a Classe Média que não pode pagar uma Sky e ainda quer dar uma de ricaço". Como eles arrotam em chamadas durante o dia: "Somos o Segundo Lugar no público com ensino superior e pertencente à classe social A".

Meu filho, quem tem diploma universitário e pertence à Classe Alta não fica assistindo Cultura. Tem dinheiro para comprar uma DirecTV, uma Sky, uma Net. Assiste CNN, FoxNews, um Warner Channel pra desestressar, isso se assiste televisão. Prefere um Sex & The City reprisado que ficar vendo o "Bichópolis" com o Dunha Jr. ("Que Dunha?", nem te conto.) Novidades sobre a cena paulistana? Folha de S. Paulo existe pra isso, oras.

Outro motivo são aqueles fantoches macabros do Cocoricó. Não bastando ser escroto, faz uma visão estereotipada da vida no interior, como se tudo fosse um mero latifúndio nos moldes de Monteiro Lobato, com a vó véia que é boa apenas pra cozinhar. Puta que pariu, eu nasci no Vale do Paraíba, interior colado com Minas Gerais, e como se não bastasse fiz "estágio" de caipirismo em Bauru por até agora quatro anos e posso dizer com certeza absoluta que aquilo fica restrito apenas aos cafundós do cu do mundo como Guaratinguetá e Quiririm, onde não chegou nem a luz de lampião - São José dos Campos, Marília, Botucatu, até mesmo a infame Bauru são qualitativamente melhores quando jogamos com QUALIDADE DE VIDA, estresses e demais fatores que em São Paulo é uma selva de pedra cheia de gente metida a besta. Se continuar assim, a próxima geração de paulistinhas preconceituosos, arrogantes e que não suportam cheiro de mato por achar que o mato tinha cheiro de estopa pintada vai estar garantida, tal qual agora os fascistas que vivem comentando na comunidade da Cidade de São Paulo (obrigado pela informação, Deco). E para finalizar, esses bonecos idiotas fizeram propaganda pro Serra na última eleição para prefeito. Scaaaary.

Tem também aquele pivete pentelho que fala como o irmão mais novo do garoto-propaganda das Casas Bahia ao apresentar os programas clonados do X-Tudo e fazendo merchã para comprar o Canal Culturinha para Baixinhos na sua TV por assinatura. Lembra do que eu disse sobre pessoas com diploma e da Classe A? Isso tudo é arapuca, meus filhos e filhas. Logo logo estaremos vendendo São Paulo para um consórcio ítalo-americano de Long Island, não perdemos por esperar.

E o carro-chefe de tudo isso é o Planeta Cidade. Programa supostamente independente, traz uma bicha enrustida no modelo genérico do Roberto Justus, passa o programa inteiro tentando fazer uma mistura de "Edificio Master" com os programas culturais nos moldes de Nova Iorque, Boston, Los Angeles, e demais lugares chiqueeeeeerrrimos com a afetação da Bicha Inglesa®. Só num programa como aqueles para ficar comparando o Cemitério da Consolação com as necrópoles de Buenos Aires (da Argentina quero apenas a Keyra, que fique claro) e com Paris. Eita mania brasileira de tentar ser americano, viu. Só num programa poser daqueles é que viria a tocar a musiqueta no molde do hino de Roliudi para falar das pessoas que moram do lado do Minhocão. E se pararmos pra pensar, "Planeta Cidade" é um título um tanto quando umbiguista. Como se São Paulo fosse o centro da galáxia e que quem mora nos Jardins ganhasse junto com as contas de fim de mês um título honorário de Cavaleiro Jedi. Nas palavras do Dr. Pimpolho, "Vai si fudê, meo!"
Arrogância por arrogância, eu vou morar em Buenos Aires. Lá pelo menos tem mulheres mais gostosas e mais resolvidas que as de São Paulo, Capital.

Sem comentários: