sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

Histórias Etílicas: What's The Story?

(Oasis - Wonderwall)

Jax. Ele era um cara legal. Andava pela rua destroçada, não em muito boa companhia. JC e Ivan estavam do seu lado, em pensamento. JC deixara esse mundo fazia um pouco tempo, Ivan já havia ido fazia um tempo. A chuva caía. Fazia tempo que não tomava um banho de chuva. Tirou a rua e começou a andar pelado pela faixa divisória da ladeira, esperando que Deus limpasse seus pecados. Mas tudo o que conseguia ver era o gel escorrer pelo seu peito pelado e escorrer por suas pernas até formar no chão uma trilha multicolorida que reagia com a luz do poste.

Sonhava um certo tempo com aquela noite. "Esperamos pela vida vivendo só de guerra." Ele via a rua como uma Rota 666 sem nenhuma chance, ele e seu rifle com escopo. E mais uma bala na câmara.

Mas aquela bala estava guardada para um dia especial. Sonhou ter encontrado a brecha que Lee Osvald não deu naquele dia ensolarado em Dallas, só que era apenas uma pimenta alucinógena que encontrou num arbusto quase pegando fogo de tão seco que estava o Caminho alguns dias antes.

Jax podia ver o mar, e dessa vez Glauber Rocha não cortaria seu filme por falta de filme na máquina. O caminho do mar era lindo. "E tudo isso foi feito pra mim e você, então vamos rodar, e ver o que é bom." Cantarolou enquanto regulava o visor da mira. Distância do alvo: zero metros.


Wonderwall (tradução)
Oasis
Composição: Noel Gallhagher

(Me nego a traduzir o termo "Wonderwall")

Hoje vai ser o dia
Que eles vão devolver isso para você.
Neste momento você devia, de algum modo,
Ter entendido o que tem de fazer.
Eu não creio que alguém
Sinta-se do modo como me sinto a seu respeito neste momento.

A batida de fundo , a conversa que corre na rua é
Que o fogo no seu coração está apagado.
Tenho certeza que você ouviu isso tudo antes,
Mas você nunca realmente teve uma dúvida.
Eu não creio que alguém sinta-se
Do modo como eu me sinto a seu respeito neste momento.

E todas as estradas pelas quais temos de caminhar são sinuosas,
E todas as luzes que nos conduzem até lá estão nos cegando.
Existem muitas coisas que eu gostaria de dizer para você,
Mas eu não sei como...

Porque talvez
Você vai ser aquela quem me salva...
E no final das contas,
Você é o meu muro das maravilhas.

Hoje iria ser o dia,
Mas eles nunca devolverão isso para você.
E neste momento você devia, de algum modo,
Ter entendido o que não deve fazer.
Eu não creio que alguém sinta-se do modo como me sinto
A seu respeito neste momento.

E todas as estradas que conduzem até você eram sinuosas,
E todas as luzes que iluminam o caminho estão cegando.
Existem muitas coisas que eu gostaria de dizer para você,
Mas eu não sei como...

Eu disse que talvez
Você seja aquela quem me salva...
E no final das contas,
Você é o meu muro das maravilhas.

Eu disse que talvez
Você seja aquela quem me salva...
Você seja aquela quem me salva,
Você seja aquela quem me salva...

Sem comentários: