terça-feira, 12 de abril de 2005

Histórias Aleatórias

- E aí...
- Então aconteceu o seguinte. Eu estava lá, com aquela mina gostosa pra cacete, bebendo como se não houvesse amanhã. Oras, você sabe que daqui a pouco estou me casando...
- Quer dizer "cagando".
- Que seja. Então, foi aí que deu merda. Deu um revertério em mim que acabei ficando enjoado pra cacete. Justo naquela hora. Foi foda, meu. Não deu outra. Eu tentei correr no banheiro só que eu tropecei nas pernas. Acabei vomitando nos pés dela.
- Puta merda...
- Pois é.
- E agora?
- Eu vou dizer "não".

****

- Bom-dia, senhor. O que deseja?
- Eu comprei esse celular aqui na loja de vocês...
- Sim sim, o Pingelion BJ233, com câmera e serviço de internet embutidos...
- Pois sim, mas agora estão aparecendo essas imagens na tela do meu celular.
- Que imagens, senhor?
- Essas.

(O cliente mostra a imagem de uma jovem morena tendo relações sexuais com um doberman na tela de cristal líquido.)

- Toda vez que eu tento apagar essa merda de mensagem, aparece uma outra mais bizarra. Minha filha, eu sou tentente-coronel da Aeronáutica, sou pai de dois filhos e uma filha, eu não vou admitir que isso aconteça comigo!
- Bem senhor, se for do seu agrado, eu posso deixar um celular mais simples enquanto tentamos descobrir o que há de errado com o vosso telefone.

(Duas semanas depois)

- Alô, aqui é da operadora "Lúcido", descobrimos qual é o problema. Pelo que parece houve uma pequena distorção nas linhas, já que descobrimos que o senhor comprou um modelo semelhante para mais alguém da sua família, pelo cadastro de afinidades. Qual é o número do celular da sua filha?

****
Ele estava no porão. Amarrado numa cadeira de escola. Com apenas suas cuecas de seda, ele via um vulto diante de si com um cigarro americano na boca.

- Foi você?
- Vai se foder.
- Olha, meu cumpadi. A gente sabe que foi você.
- Foda-se.
- José Martinez Siqueira. Estudante de Direito. "Expropriou" um banco pra comprar armas pros comunistas. Quem te ajudou nessa?
- Me chupa.
- Cê sabe com quem tá falando?
- Um pai de família que paga contas de telefone com um mês de atraso. A filha é normalista. Gosta de lamber a xoxota da companheira de classe depois das aulas de Educação Física. A sua mulher tem duas marcas de cinta no lombo.

(peft)

- Lava a boca pra falar da minha família.
- O senhor tem uma amante. Loira, argentina, quase quarenta anos. Ela vive de corpete pela casa com os móveis que o senhor comprou pra ela. Ela tem uma tevê em cores. Nada mal para um país de analfabetos e de massa-de-manobra!
- Seu comunista de merda! Eu estou perdendo a crisma da minha filha por causa de merdinhas como você que pensam que sabem alguma merda. Vocês não sabem merda nenhuma a respeito do comunismo. Eu vou acabar com essa merda nem que eu tenha que comer o cu de almofadinhas como você.
- O seu filho está no último ano do Científico. Pretende se tornar engenheiro civil. Mas o sonho dele é mesmo escrever histórias para revistas do Homem-Aranha. Nunca ficou com nenhuma menina da vizinhança. Mas parece que o viram com um amigo dele do futebol dentro do quarto.
- Tavares, traz a chupeta. Esse filho da puta vai acender uma árvore de natal no cu quando eu terminar com ele.

Por dois dias e duas noites, o Delegado currou o jovem subversivo. Mas a cada vez que a autoridade lhe dirigia a palavra, algo sobre sua vida era revelado.

- Escuta, só entre nós dois, eu quero saber: como é que você sabe tanto sobre mim?
- Você tinha um irmão, certo?
- Tinha.
- Morreu quando você era pirralho, certo?
- Morreu na Guerra.
- Eu como o cu dele toda a noite, seu babaca. Em troca, ele me conta todos os seus podres.

O jovem nunca mais foi visto.

****

1 comentário:

Anónimo disse...

Atualizou..
É o seguinte: De todas, nem precisa eu falar que foi dessa última que eu mais gostei, precisa???
Bjo.