domingo, 1 de agosto de 2004

Comerciais que gostaríamos de ver na televisão...

Como é normalmente: "Coca-Cola" e as mini-garrafas.

Aeroporto genérico. Delegação brasileira embarcando para Atenas. O alto-falante anuncia "Sumiram as mini-garrafas olímpicas" e todo mundo começa a procurar como se fosse uma bomba de antraz, entram as animações por computador explicando a promoção, quantos pontos precisa juntar para conseguir as minigarrafas, o mini-casco, o minicaminhão de Coca e o minientregador de Coca-Cola fudido e malpago. No BG, a Elza Soares, vulgo "Eguinha Pocotó" (por causa de sua cara de cavalo, com um olho em cada lado da cara) cantando o jingle olímpico Coca-Cola.


A única coisa que se esquecem de contar é que você tem que tomar quantidades astronômicas desse caldo caramelo e tóxico para conseguir "pontos" suficientes para poder trocar. Algo em torno de vinte litros. Qualquer um que assistiu "O Mundo de Beakman" se lembra do que aconteceu quando a coxa de peru ficou mergulhada na Coca. Todo mundo sabe que essa merda fode com o nosso corpo. Mas ainda sim a gente quer ter as mini-garrafas, uma lembrança das Olimpíadas. Ainda sim, precisa encontrar um local que troque as suas tampinhas e anéis de latinha pelas malditas mini-garrafas. Em geral, é na proporção de um ponto de troca para mais de cem mil pessoas. Assim como as outras mini-garrafas, os ioiôs, os chaveiros do Charlie Brown JR, os mini-CDs demo com músicas que ninguém mais suporta, e todas as parafernálias que os publicitários inventam pra atrair as massas.

Como deveria ser: "Coca-Cola" e as mini-garrafas.

Aeroporto genérico. Delegação brasileira embarcando para Atenas. O alto-falante anuncia: "Todos os vôos para Atenas foram cancelados por ameaça terrorista". Todos correm de um lado para o outro, procurando abrigo entre as pilastras enquanto a segurança do aeroporto revista as malas de todo mundo, a delegação de Tiro ao Alvo é algemada por engano - confundiram as armas esportivas com pistolas Glock. Gustavo Borges intervém e toma um tiro na rótula, se contorce de dor. Enquanto isso, um argentino tomando uma Coca-Cola e usando uma camisa do Boca Juniors faz Daiane dos Santos como refém, ameaçando explodir uma bomba biológica no Aeroporto. Os policiais atiram nos joelhos da ginasta, que cai se retorcendo de dor. Os policiais atiram no argentino, que detona o artefato, contaminando todos com varíola. As últimas palavras de Daiane são:

"-Caralho, agora que a Coca-Cola pagou minha cirurgia do joelho, porra!"

Nesse momento entra o chimpanzé aposentado de um comercial de mais de dez anos, apanha a latinha de Coca do Argentino, arranca o anel que conta como meio-ponto para a mini-garrafa olímpica. Vira-se para a câmera num close e grita:

"Uh Guaraná.........!"




Dedicado a Deco e todos aqueles que assistem Televisão demais.

2 comentários:

Whiskey Jack disse...

hahahah, Perfeito!
E eu sem dinheiro pra bancar uma propaganda dessas, har har har.

Anónimo disse...

Sensacional, sensacional (como diria um maníaco de canal televisivo jovem qualquer)!!!!!

Ass: Deco Lindo