quarta-feira, 28 de julho de 2004

Mais um Roubo do Site do Fraude.....

Como fazer um pornô alemão - Porque até mesmo o sexo tem que fazer sentido
por Alexandre Rodrigues [ 16/06/2004 ]

Como fazer um pornô alemão
Dietrich é um feroz e jovem executivo que nasceu no lado comunista, mas aderiu com entusiasmo ao capitalismo. Agora, precisa ordenar a desocupação de um prédio caindo aos pedaços que será demolido para dar lugar a um shopping center de serviços. Acontece que os moradores não querem sair. A líder do movimento de resistência é Marsha, jovem bonita e pobre, nascida no lado ocidental e capitalista, mas cheia de ideais de igualdade. Os dois se detestam, embora, secretamente, estejam apaixonados. Ela fica dividida entre Dietrich e Werner, militante do Partido Verde que desde o início está ao seu lado. No meio de tudo isso, dois velhos discutem se foram positivas ou não as mudanças na república reunificada alemã. Ninguém tira a roupa.

Resultado na audiência: o espectador sai do cinema excitado com a constatação. É inegável que o capitalismo não foi capaz de vencer todos os seus desafios no pós-comunismo, mas se mostra o único sistema ainda viável.

Como fazer um pornô francês
Família mora junta em mansão. Henri tem um caso com a mãe de François, seu meio-irmão por parte de pai. François, por sua vez, come Marie, a mulher de Henri. Marie é a melhor amiga de Isabelle, casada com Jean, e transa com os dois, assim como com Gance, o motorista, e Lenard, senador da República. Já Maksoud, o pai de Henri e François, não consegue mais comer ninguém, porém ainda se diverte olhando, em um sofisticado sistema de câmeras secretas, as sacanagens de todos e tentando agarrar Claudette, a empregada, que, embora seja inverno, desfila pela casa usando uma uniforme sumário.

Resultado na audiência: o espectador sai do cinema excitado com as modernas relações familiares e suas implicações na sociedade, mas lamenta profundamente que Isabelle, um tesão de pele clara e cabelo curto, tenha sido justo a única mulher a não ser enrabada durante toda a história.

Como fazer um pornô russo
Dimitri bebe um balde de vodka e começa a olhar com desejo para Irina, uma bela loura que, contudo, não tem tempo para o sexo. Mal acaba o próprio balde de vodka, ela se levanta correndo. O pequeno Misha abriu o berreiro no quarto ao lado. Irina apronta rapidamente um balde de vodka morna e leva para a criança, que finalmente se cala. Então aparece Anatoly, que veio fazer uma visita. Carregando o seu balde de vodka, Anatoly se instala em volta da mesa da cozinha. Dimitri pergunta:
- Que horas são? E todos respondem em coro: - Hora de beber.
Cada um entorna um balde de vodka.

Resultado na audiência: o público bate palmas entusiasmado, pois, vendo a cena, se lembrou que já está na hora do balde de vodka das cinco.

Como fazer um pornô americano
Nina tem seios gigantescos, verdadeiras bolas de futebol, e uma grande e eriçada cabeleira loura, mas quase nenhuma bunda. Ela deixou uma fazenda ou cidade no interior para tentar a sorte na cidade grande, seguindo o sonho de ser uma grande artista de Hollywood. Mas tudo o que consegue é trabalhar como stripper. Nesse meio, ela faz sexo coreografado com um produtor sujo e interesseiro, um sujeito legal que só está ali para aumentar o número de trepadas em cena e o cliente bonitão que por coincidência tem alguns contatos no meio artístico. Nina finalmente alcança o estrelato.

Resultado na audiência: o espectador fica encantado com Nina, que, assim, estrelará mais uma batelada de filmes chatos e com sexo mecânico, Nina, Viva Las Vegas, Nina em Nova York, Nina e a maldição do sexo, entre outros. Seus peitões passam por uma cirurgia para ficar maiores do que nunca.

Como fazer um pornô japonês
Mitsuko, uma jovenzinha vestida de colegial, Nikeba, uma jovenzinha vestida de colegial, Sukii, uma jovenzinha vestida de colegial, e Yoko, uma jovenzinha vestida de colegial, descobrem os prazeres da vida e do sexo. Tanaka, Mitsuhashi e Ikeda, são rapazes que não se vestem de colegial, são meio atrapalhados, fazem muitas caretas quando falam, por mais banal que seja a frase, e o tempo todo tentam evitar que as jovenzinhas tenham alguma emoção na vida em vez de comê-las. Mas pelo menos há muitas cenas de sexo, o que não adianta nada, pois bolinhas pretas, muito bem colocadas na edição, cobrem todos os genitais e sexo à mostra.

Resultado na audiência: Takeshi Kitano elogiará a dramaticidade das cenas, o que quer dizer que são arrastadas e chatas. O diretor será comparado a Kurosawa, o que não quer dizer nada, pois todos os diretores japoneses são comparados a Kurosawa. O público ficará puto da vida, pois, além de ter que aturar toda aquela chatice, as bolinhas não deixaram aparecer nenhuma sacanagem.

Como fazer um pornô brasileiro
Sem nenhum diálogo ou explicação, um casal está nu, se agarrando na cama. Ele é do tipo estivador, com corpo de marombeiro, enquanto ela é bonita e tatuada, com uma baita pinta de vagabunda. Seus nomes são alguma coisa parecida com Marião, o Empalador, e Marisa Lee. Os dois trepam em todas as posições e de todas as maneiras. A cena acaba e, também sem nenhuma explicação, corta para outro casal, que começa a se agarrar. Os nomes dos atores agora são Marcelo Tigrão e Lusbell. E assim os casais aparecem, trepam e desaparecem até o fim.

Resultado na audiência: mal termina o filme, o espectador limpa a mão e se vê com a cabeça cheia de perguntas: Quem são aquelas pessoas? Por que os cenários são sempre ordinários? E aqueles peitos murchos, quem teve a infeliz idéia de pô-los em um filme? São tantas perguntas que ele já está pronto para as 29 continuações da série que certamente virão.

1 comentário:

Whiskey Jack disse...

hahaha, matou a pau. (trocadilho não intencional).
Se bobear dá pra expandir também para os outros generos: ação, drama, comédia, dadas as devidas proporções, tem muitos pontos em comum.
ötimo texto.