quarta-feira, 16 de junho de 2004

Continuando as músicas de Battlefield Vietnam:

Jefferson Airplane - Somebody to Love
The Trashman - Surfin Bird
Martha Reeves and The Vandellas - Nowhere to Run



A metade do Filme que você não viu.

Fui até a casa do Lesh pra copiar os arquivos de instalação do jogo online Gunbound. Saí de lá com um pouco mais do que apenas os arquivos do supracitado. Umas fotos, umas músicas e uma sessão do filme ainda em cartaz nos cinemas ianques: Kill Bill vol. 2. Valeu por essa, Lesh. Dessa vez posso falar uma coisa na frente de outras pessoas do meio do entretenimento - não querendo ser Lucio Ribeiro, mas já tentando...

Estava preparado psicologicamente para outro banho de sangue, mas dessa vez não precisei usar o antiemético, já que nunca assisti às fitas de Faces da Morte. Em outras palavras, Tarantino resolveu acalmar os críticos. Usaram todo o sangue que puderam na primeira metade de seu épico. Num ritmo mais compassado, como se quisesse frear o ritmo "overkill" que tanta gente encheu o saco. Ao contrário da vez em que eu assisti a "vol. 1", eu não vou ficar contando sobre detalhes, final e punhetando filosoficamente sobre a natureza do "épico antes do épico" de Quentin Tarantino. Talvez tenha ficado com uma overdose depois que o meu grupo de Jornalismo Impresso I compôs um jornal-mural sobre "Kill Bill". Vamos ver "Inglorious Bastards" em 2007. Mas, pra não estragar surpresas e não deixar o meu público de cinco bloggers e meio na completa escuridão, vamos agora com...


Cinco coisas que você tem que saber sobre Kill Bill vol. 2 antes de todo mundo


1)A "Noiva" tem sua identidade revelada e é uma gata. Literalmente.
2)Michael Madsen tinha razão. Budd "Sidewinder" é mais cruel que Mr. Blonde em Cães de Aluguel.
3)Daryl Hannah tem mesmo 44 anos? Tá enxuta, hein fia?!
4)A trilha sonora nesta metade não deu o mesmo frisson que a primeira metade.
5)O personagem de Gordon Liu é o mestre que apenas os Street Fighters e os Guerreiros Z teriam "cojones" pra suportar.

1 comentário: